segunda-feira, 23 de junho de 2008

Trinta e três


A inspiração as vezes vem do vazio,
Tão cedo sofre a dor arrependida da solidão,
a noite é briga constante.
Andar por ai, fotografar, escrever...
As portas abrem e fecham,
Escuro e claro,
Frio e gelado...
Respostas,
Ainda não as encontro.
Singular é a maneira despercebida
Das pessoas que se tornam mecanizadas,
Nossos julgamentos são impróprios,
Pois, somos conhecidos como loucos, insanos, sonhadores.

O relento de 33 anos
Foi o mais realista, consegui chegar,
Os ponteiros passaram devagar pelo 12,
E hora da partida foi despedida, foi reencontro.
Fotografo sem pensar,
A inspiração é sádica, é às vezes traiçoeira,
Mas, quando acordo, percebo que não sonhei acordado,
Mas, quando acordado estou, vivo sonhando,
E viver assim é provar do fruto proibido, é maça mordida,
É dúvida, é saudade, paixões, encontros e desencontros.
Estou por ai,
Portas se abrem, se fecham, é escuro, é claro.
Mas, é o bastante, para viver na simplicidade do prazer, de ser eu mesmo.

2 comentários:

Karina Meireles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Karina Meireles disse...

São os sonhadores que animam arealidade e a alimentam para um dia melhor!!
Fico feliz em ter conhecido sua pessoa tão talentosa que me enche de vida através da arte!
:)

Energias positivas sempre!